A RELAÇÃO ENTRE DADOS E INFORMAÇÕES: A BASE DA ESCALADA DO CONHECIMENTO






Quando falamos em dados e informações, principalmente ao tratarmos pela ótica da Inteligência de Mercado percebemos que existem algumas coisas que se misturam e acabam confundindo quem não lida com isso no seu dia a dia.


Mas o que de fato são dados? Onde encontrá-los? E o que são informações?


Conceitualmente, “dados” correspondem a uma coletânea de variáveis, que provém de fontes diversas (internas e externas), e podem ser traduzidos em forma de números, expressões, palavras, conteúdos, imagens, ou seja, se refere a medições ou observações de um conjunto de variáveis.


Vamos pegar um exemplo para que possamos entender melhor essa relação entre dados e informações e o que eles geram para as empresas.


Vamos imaginar o Monte Everest. Todos, em algum momento da sua vida já viram alguma imagem, documentário ou mesmo um filme onde o cenário era a Monte Everest, aquela montanha localizada no Himalaia, fronteira entre China e Nepal e que, por ser a montanha mais alta do planeta é um dos maiores desafios aos alpinistas que se aventuram a desafiá-lo.


Pois bem, vamos imaginar então o Monte Everest. E vamos imaginar que queremos escalar ele. Para isso precisamos investigar sobre tudo que nos ajude a alcançar nosso objetivo não é mesmo? Precisamos, por exemplo, investigar a sua localização, sua altura exata, com chegar lá, entre outras coisas. Esses são os “dados”, as variáveis que estamos coletando e registrando e que vão nos ajudar a identificar alguns parâmetros iniciais, mas talvez ainda de forma isolada.


Então, vamos adiante, precisamos saber mais, sobre as condições climáticas e geológicas da região, e podemos buscar isso em livros ou sites onde os dados já estão reunidos ou nós mesmos podemos começar a fazer essa organização. As informações dizem respeito a esse cruzamento de dados, que reunidos e correlacionados nos indicarão, o quanto temos que subir em metros por dia, por exemplo, ou quantos dias levariam para subir em condições normais, ou que época é mais propícia pelas condições climáticas características da região e suas variações, os riscos de tempestades, ventos, avalanches, enfim, que fatores podem ocorrer e afetar diretamente uma variável como o tempo de execução, por exemplo, que pode impactar no objetivo que é chegar ao alto em um número pré-determinado de dias. Isso são “informações”: a reunião de vários dados, que ao serem analisados em conjunto, geram os aprendizados necessários para as decisões que devemos tomar e, assim, conseguirmos vencer o desafio de subir a montanha.


Podemos ainda, buscar informações de quem já venceu esse desafio, para saber a melhor maneira de subir, dicas de sobrevivência, cuidados, trajeto por dia, melhores equipamentos, etc. Essa vivência pode ser chamada de “conhecimento”, algo que é construído a partir da experiência e que tem mais chances de ser bem sucedida se os dados e as informações forem consistentes e o mais aproximado possível da realidade.


Essa analogia sobre a escalada ao Monte Everest, que pode ser meio ambiciosa pela sua grandiosidade, serve para ilustrar a diferença entre dados, que são aquelas fontes mais baixas na cadeia de elementos registrados e são resultantes de alguma medição, observação, experimento, experiência ou outra situação semelhante; e informação, que se refere à organização, transformação e análise de todos os dados coletados para embasar de forma mais assertiva as decisões que precisam ser tomadas. As informações transmitem significados dentro de um determinado contexto.


Podemos imaginar que no ambiente de negócios, nosso Everest é o mercado (clientes, fornecedores, concorrentes, governos, etc) com todas as intempéries que fazem parte dele, um ambiente, muitas vezes, inóspito e repleto de riscos. Para sobreviver e chegar ao alto, temos que estar muito bem municiados de dados e informações.


Para tornar a escalada mais segura, nada melhor do que contar com o trabalho de um guia – alguém que já conhece a região, o clima, os habitantes do local e toda espécie de dificuldade que o trajeto impõe.


Para isso, a Bureau de Projetos e Pesquisa oferece o serviço de CONSULTORIA ESTRATÉGICA EM INTELIGÊNCIA DE DADOS lançando um olhar customizado para cada cliente, através da equipe de profissionais especialistas em análise e organização de banco de dados, com experiência em inteligência de mercado, podendo realizar análises conjunturais e projeções.


Através de nosso trabalho, podemos guiar a sua empresa rumo ao topo dos seus negócios, traçando juntos uma jornada de sucesso.


#consultoriaestrategicaeminteligenciadedados #dados #informação #conhecimento #estrategia #inteligenciademercado #bi

Posts Em Destaque
Posts Recentes
Arquivo